Pérez Dworecki nasceu em 08 de dezembro de 1920, na pequena aldeia de Tamási, na Hungria. Seu nome de batismo era Sándor Herzfeld, de origem alemã e seus pais eram judeus. Sua mãe, Ilona, cuidava dos afazeres do lar e seu pai, Armin, era sapateiro e a infância de Sándor foi pobre e difícil. Armin, entretanto, era um grande apreciador de música e trocou um par de sapatos por um violino para o pequeno Perez, que logo começou a ter aulas com um cigano de uma das orquestras ciganas que se apresentavam em sua aldeia. O instrumento do cigano, no entanto, era o címbalo e Perez tornou-se autodidata.

 

    No início dos anos 40 ingressou no Conservatório Franz Liszt em Budapeste para estudar violino e viola. Dentre seus renomados professores destacam-se Léo Weiner (1885-1960), Zoltán Kodály (1882-1967) e Sándor Végh (1912-1997).

 

     Perez perdeu seus pais num dos campos de extermínio da II Guerra Mundial e decidiu mudar de país. Com sua companheira Katalin, partiu para a Áustria a pé, mas ficaram por lá por apenas alguns meses. Em seguida ficaram algum tempo na cidade de Cadorna, na Itália, onde compraram os passaportes de um casal polonês, Perez e Sonia Dworecki. Em 1947, decidiram imigrar para o Paraguai, mas passando pelo Brasil, decidiram se estabelecer aqui, por conta das muitas oportunidades de trabalho. E efetivamente, com pouquíssimo tempo de permanência no país, ele foi contratado como primeiro violista da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo, cargo que ocupou por 30 anos, de 1953 a 1983.

 

     

     Na década de 50 Perez trabalhou intensamente como violista nas orquestras das Rádios Gazeta, Tupi, TV Record, TV Cultura e da extinta TV Excelsior, tendo a oportunidade de travar conhecimento com importantes compositores e maestros, como Radamés Gnatalli, Villa- Lobos, César Guerra-Peixe e Henrique Simonetti e Camargo Guarnieri.

 

     A partir desses contatos surgiram importantes obras dedicadas ao violista Dworecki, como o Concerto para viola e orquestra e a Sonata para viola e piano do compositor Radamés Gnattali e asTrês peças para viola e piano, de César Guerra Peixe. Perez também participou de inúmeras gravações com artistas da música popular brasileira como Agostinho dos Santos, Maysa, Gilberto Gil, Sérgio Bandeira, entre outros. Exerceu intensa atividade acadêmica, tendo sido professor de viola por 15 anos (1972-1987) na Universidade de São Paulo (USP) e participando também dos festivais de música de Curitiba e Londrina e da Bienal Internacional de Música na Escola de Comunicação e Artes da USP .

 

     Detentor de uma extensa discografia, teve seu inegável mérito reconhecido por meio das várias obras dedicadas a ele e foi um dos grandes responsáveis pela disseminação da viola no Brasil. Foi também importante divulgador da obra dos compositores brasileiros no cenário nacional e internacional.

 

Texto escrito a partir da dissertação de mestrado de Hellen Mizael

Discografia: https://perezdworecki-viola.bandcamp.com/community

Foto Album Suites 1979.jpg
DSCF1049.JPG
DSCF1051.JPG
DSCF0908.JPG