Bela Móri nasceu  em 14 de junho de 1912, em Budapeste, na Hungria. Ficou órfão ainda criança e foi acolhido por Jeno Vida em seu orfanato criado especialmente para crianças judias, na mesma cidade. Foi também de Jeno que ganhou seu primeiro violino e o estímulo para estudar música, como outras crianças da instituição. Jeno foi avô de Edith Pereny,  violista da OSM e bisavô de Betina Stegmann, que é atualmente primeiro violino do Quarteto de Cordas da Cidade de SP. Ele e grande parte de sua família foram enviados para Auschwitz, de onde infelizmente jamais retornariam.

       Bela estudou viola na Academia Real de Budapeste e dessa época data uma das interessantes histórias de sua vida: um dia ao fazer a viagem de trem que o levaria ao conservatório, um senhor se sentou ao seu lado e parecia muito interessado na partitura que ele revisava para uma prova que faria naquele mesmo dia. Incomodado, acabou mudando de lugar, pois não conseguia se concentrar. Qual não foi sua surpresa ao entrar na sala de audição e constatar que na banca estava o senhor do trem e ele era nada menos que o próprio Béla Bartók?

     Assim como tantos irmãos judeus, Bela Móri imigrou para o Brasil para fugir da perseguição na 2ª Guerra Mundial e se estabeleceu na cidade de São Paulo, onde atuou intensamente como violista e professor, dando aulas também no Conservatório de Tatuí na década de 70. Produziu transcrições e edições com sugestões de dedilhados e uma proposta técnica especialmente pensada para violistas que como ele, tivessem estatura e mãos pequenas. 

      Bela Móri foi primeira viola da OSM - Orquestra Sinfônica Municipal de SP de 1956 a 1982 e era conhecido por sua bela sonoridade e também pelo senso de humor peculiar e irreverente. Uma vez, após o famoso solo de viola do ballet Gisele, um estudante foi cumprimentá-lo, dizendo que estudava viola. Ele virou o pescoço do rapaz e não identificando a marca comum nos violinistas e violistas respondeu "não estuda, não", deu-lhe as costas e foi embora. 

    Apesar da infância difícil e da imigração por falta de alternativa, os que o conheceram afirmam ter sido uma pessoa extremamente alegre e eternamente grato à Jeno Vida. Bela Móri faleceu no ano de 2006, na cidade de São Paulo.

* Cortesia do Naipe de Violas da Orquestra Sinfônica Municipal de SP - OSM

Naipe de Violas da OSM - década de 80

Em pé - Marcos Fukuda, Klaus Hellner, Akira Terazaki, Toshio Furihata, Edith Pereny, Gianni Visoná, Giovanni Paolo Momo.
Sentados - Adriana Pace, Perez Dworecki, Renata Braunwieser, Bela Mori, Yoshitame Fukuda.
Foto tirada durante uma confraternização em 27/10/1983.